terça-feira, 16 de junho de 2009
sim à preservação
e meu primeiro post como estudante de jornalismo vem com notícia boa: texto selecionado para a segunda etapa do concurso "primeira pauta", do jornal zero hora.
aqui está:

"O trabalhador, o padre, o vereador, o turista. Nos arredores dos municípios de Rio Grande e São José do Norte, o que têm em comum? Todos dependem da água, e não só pela sua propriedade fisiológica nos organismos: dependem dela para serem transportados. Há anos, milhares de pessoas, das mais diversas classes e ocupações, utilizam-se do único meio de transporte que liga uma cidade a outra: o hidroviário. Durante 30 minutos, os passageiros têm contato com o estuário da Laguna dos Patos e a beleza do ambiente natural é opinião unânime. Porém, paradoxalmente a isso, há o comportamento não-ecológico do ser humano. O estuário, cenário do trajeto, é "contemplado" com cascas de laranja, papéis de bala, restos de cigarro. O ambiente que permite o deslocamento das pessoas de um lado a outro é alvo da falta de consciência ecológica dos passageiros. Nas barcas, não há nenhuma placa que faça apelo ao cuidado com o meio-ambiente e nem mesmo os vereadores locais - que também desfrutam desse meio de transporte - parecem priorizar algum projeto que vise amenizar o problema. Existe uma falha na educação ambiental que impede a transformação de um pensamento conformista em um comportamento individual e social em favor da valorização da vida e das relações do homem com a natureza. A reportagem que eu gostaria fazer é justamente a análise desse comportamento egoísta do homem e dos fenômenos que cumprem papel de obstáculo frente à conscientização ambiental. Ninguém vê que o estuário, além de ser fundamental para que as pessoas tenham acesso de um lugar a outro, abriga grande biodiversidade e serve como sustento a diversas famílias do local, que possuem a pesca como principal atividade? Em textos, entrevistas e fotografias, essa é a minha primeira pauta: o que fazer para mudar essa situação?"
:)
posted by L. @ 20:31  
3 Comments:
  • At 19 de junho de 2009 09:57, Blogger luísa fedrizzi said…

    óun, tatamar!

    pena que agora o diploma não importa, néãm. ¬¬

     
  • At 24 de junho de 2009 07:15, Anonymous Henrique Gibbon said…

    Certa vez, em uma das lanchas que faz a travessia, acabei discutindo com um fiscal nao sei da onde (ele falou mas nao entendi).
    Ele "apagou" o cigarro jogando na água. Então, eu acabei avisando ele que tinha um lixo aí lado dele que ele poderia ter usado. Ele se ofendeu e justificou dizendo que salva a vida de um grande número de camarão combatendo a pesca ilegal.
    Acabei falando que isso nao lhe dava poderes para ficar errando. Nisso, ele apelou para a juda de um amigo que se dizia delegado, o qual acabou fazendo uma certa ameaça, só pra se sentir poderoso. Tive que rir.
    Mas o caso é sério. E creio que lá nao seja nem a falta de respeito com a natureza, e sim de conhecimento e informação.
    Parabéns pela iniciativa Lu. Ficarei no aguardo por novidades.

     
  • At 8 de junho de 2012 12:25, Anonymous Anônimo said…

    Po.. para que diploma ne, se hoje, profissionais sao uma minoria porque qualquer 1 se diz jornalista sem ter nada de útil para escrever!

     
Postar um comentário
<< Home
 

ME: luisa tem 22 anos e mora em pelotas. é bióloga, já foi professora e, um dia, será jornalista. é cantora nas horas vagas. apreciadora de vários tipos de arte. tem 4 tatuagens, ama a família e valoriza os amigos. fala alto e come de tudo.

fotolog + youtube + orkut

Passado
Linka
Thanks

isnaini.com
blogger